Preciso cortar meu cordão umbilical. Preciso de uma tesoura urgente. Aliás, de duas. Não aguento mais sofrer pelos outros e por causa dos outros. O problema, ou a pior parte dele, é que os "outros" não são outros quaisquer, mas aqueles culpados pela minha existência. Aqueles a quem costumeiramente chamamos de pai e mãe. Não sei o que é ter uma família "normal e feliz" (se é que há alguma por aí digna de tais títulos). Aquelas da ficção, as que aparecem em comercial de televisão e novela. Também não sei o que é ter pais molestadores ou criminosos. Não estou nem em um extremo, nem no outro. Mas sofro assim mesmo, na intensidade que me abate e à minha maneira. Desde que me conheço por gente sofro por falta e excesso de amor. Pode parecer estranho, mas é verdade. Por um lado, vivo pisando em ovos, procurando aprovação, buscando abraços e sorrisos de uma pedra de gelo; por outro, vivo me preocupando, me martirizando, me colocando no lugar que deveria ser dela, sofrendo junto com ela, apanhando por dela, querendo ajudar e me vendo impotente. Não posso mais deixar que atitudes alheias à minha vontade sejam condicionadores de minha felicidade ou depressão, de meu estado de espírito. Assim não há Prozac que funcione, nem psiquiatra ou análise que dê jeito. Não posso mais tomar para mim a dor e os problemas dos outros. Não posso mais. Não posso mais respirar. Estou sufocada pelo meu próprio choro, aos soluços, mergulhada em minha dor e não vejo a quem recorrer. Não vejo em que me agarrar pela minha vida, ou melhor, pela minha sanidade. Me vejo só a lutar como louca para ser o que esperam que eu seja. Me vejo falhando e errando apesar de todos os esforços. Me vejo inútil e incapaz. Eu não quero mais me ver, por favor parem de atirar espelhos em mim.

2 comentários:

ex-amnésico disse...

Conselhos são coisas inúteis geralmente, mas lá vai um deles (quem sabe...?):

Use esses espelhos pra confundir quem os atirou em você.

NY4NY!


Beijo mnemônico.

L.S. Alves disse...

Pais sempre são confusos. Se puder afaste-se. Eles sobreviveram antes de você chegar e saberão sobreviver depois que você se for. Deixe que eles se virem um pouco e viva "A SUA VIDA".
Um abraço moça.