Eu amo você. Essa é a verdade nua, crua, pura. Eu ainda amo você e ninguém sabe o quanto isso me dói. Dói por que procuro a sua boca em todos os rostos que vejo, beijo, desejo. Dói por que procuro o seu calor em todos os corpos que abraço, amasso, desfaço. Eu acho, mas não encontro. Por que nenhum deles é você. Por que ninguém nunca vai ser você e eu sempre vou pensar em como tudo era melhor antigamente: mais gostoso, mais quente, mais sofrido, mais desesperado, mais intenso... mais vivo. E você? Ah, você não vai estar aqui. Você não vai estar nem perto daqui. Pior, você já está em outra dimensão, outro mundo. Você passou uma borracha no seu passado e me apagou junto. Eu agora nem lembrança sou, nem uma memória bonita (ou feia). Não causo aquela nostalgia gostosa que você me causa. Não sou nada, não fui nada. Não sou ninguém. Morri e sequer me dei conta. Só depois quando você fez questão de me mostrar o atestado de óbito. E quanto a dor? Eu a tranco, engulo a chave da porta e me torno a mulher mais forte e insensível do mundo. Obrigada.

12 comentários:

Natalia B. disse...

Fantástica descrição de uma mulher que ana e se sente desprezada. E reage.

Anônimo disse...

Reage? Não sei.
Mas já falei tanto disso com vc.

Darkgirl disse...

gostei muito...
apesar de ser um texto sofrido esta muito bom!
cumps

Monstrinha disse...

nossa! texto tão intenso que me provocou até um arrepio!
Encontrei você pelo Blog da Natalia B.
Pretendo voltar mais vezes!
=D

Raf's disse...

Parabéns pelas palavras. Consegues envolver quem lê na tua própria realidade..

Renato Ziggy disse...

Uau! Na boca do estômago. Bêjo!

Lucianny Motta disse...

Juro que me perdi com suas palavras. Entrei em um labirinto só meu e desatar alguns nós atravessados na alma é sempre complicado! E olha, é muito bom se ver no texto de alguém e parece que você de longe, no completo desconhecido, conseguiu me enxergar e nossa, que alívio!

Adorei! ADOREI! HAHAHAHAHA!
Quando puder, me visita: http://vitrinenua.blogspot.com

gilgomex x disse...

tb te amo... ah, não era eu... rs. Desculpe. Eu tento falr... er... escrever sério, mas dou uma escorregadas. Acho que não domino bem a lin... er... os dedos. Mas sou como os palhaços, nasci pra levar alergia... E medo!

all of me disse...

Interessante como o amor devasta corações em diferentes espaços. E o que fica é um buraco, uma carência, um eterno mal-estar.

Juliana Menezes disse...

Texto intenso e muito bem escrito!!!

Você é muito talentosa!!! =D

beijos

Vivian Loreti disse...

Envolvente o seu texto. Muito bom :)

Bruna Vicente disse...

Quanto tempo não passava por aqui...tuas palavras são incríveis, sua intensidade, seu brilho, e faíscas!