Breve pseudo-manifesto a meu favor

Declaro que, deste instante em diante e para todo os fins, não terei mais nome, nem endereço, nem alma, nem corpo. Não por suicídio ou coisa do gênero, mas basicamente por assim ser. Não assinarei mais nada, pois nada mais será meu. Não farei mais nada, pois nada mais terei para fazer. Será como o clímax do ápice dos meus sonhos nada infantis, como a volta às entranhas do escroto do meu pai ou do ovário da minha mãe ou ambos, o que faria mais sentido.

Entendem, pessoas, que a vontade de existir evaporou? O peso das responsabilidades não me agrada, nem muito menos a vida escrava de estudante assalariada. Por mais que pareça incoerente.

11 comentários:

Jaya disse...

Se eu tivesse poesia para tanto, faria um manifesto igual. Talvez mudasse uma palavra ou outra, mas deixaria de existir.

Quisera eu.
E você.

antiambiente disse...

discordo. esse lance de estudante assalariado é que é não vida. quero vento no rosto, cerveja e chamego de menina.

Dorothy C. S. disse...

Peço licença para discordar de você e da Jaya...
Se eu tivesse poesia para tanto (esta que vocês possuem), deixar de existir seria um desperdício!

Bruna disse...

Pareces uma grande mulher!
seria um desperdício.

Thiago Kuerques disse...

Que vontade de fazer manisfesto! Mas nao morra por isso.

linafuko disse...

“Mas um nome não é mais que uma palavra, não explica nada sobre quem é a pessoa.”

José Saramago, in Ensaio sobre a Cegueira (acho... xD)

***

Sabe que tenho me sentido assim nessas últimas semanas?
Assim como você diz, não é um suicídio consumado... é a vontade de nunca ter existido!

Mas acredito que tudo isso irá passar...
Espero...

Leo Lemos... disse...

Quando quiser FUGIR me avise. "E a infermeira olhou para o paciente e disse: já tomou no cú?!" [Neto, Pedro Neto]

..onde fica marraquexe.. disse...

é foda mesmo... mas tbm é assim.
bjs

Gatinho disse...

To me sentindo assim tb . Vontade de nunca ter existido .

Leandro Rodrigues disse...

"existir ou não existir, heis a questão"

=/
=)

Gostei do seu blog

Até mais
abraço

leila saads disse...

Freud explica, pulsão de morte o nome disso aí. Vontade da inércia eterna...

Vou acompanhar esse teu blog!

Até!