Ysatsce

Parte VIII:

Ela sai do banheiro. Veste um roupão felpudo e tem os cabelos molhados escorrendo sobre os ombros. Anda até a sala, liga o som e senta confortavelmente no sofá. Abre as pernas, os pés apoiados na mesa de centro, começa a acariciar as coxas. A cabeça recostada, os lábios entreabertos, ela sente, de repente, alguém vendando seus olhos.
- Quem está aí? Quem?
- Calada!
- És tu? Diz que sim!
- Já disse, cale a boca!

O outro a empurra contra a parede, arrancando o roupão e, segurando as duas mãos atrás das costas dela, começa a cheirar cada entrada de seu corpo.
- Puta que o pariu!
- Pára! Pára!

Ela debate-se inutilmente. Os braços a apertavam forte demais. O desespero mistura-se a um prazer estranho.
- Diz apenas quem tu és. Sei que não és ele!
- Eu sou isso aqui.

O outro abre o zíper da calça, segura para fora o pau muito duro e estupra todos os orifícios de que ela dispõe. Força as investidas, machucando o corpo dela, arranhando, abusando, deixando marcas e fazendo-a gritar.

O outro termina e a deixa jogada no chão, sem reagir, sem mais forças.

Ela fica deitada, sozinha, fixando os olhos no nada, sem conseguir definir o que havia sentido ou acontecido.

Ele passa as mãos pelos cabelos dela, tirando-a do torpor.
- Foste tu?
- Não. Mas fui eu quem quis.
- Por que não me avisaste?
- Não preciso te dar satisfações.

Ele sorri e, segurando sua cabeça, ele a guia até o meio das pernas.
- Vem terminar o serviço, menina.

Ela o chupa obedientemente.

***

Anteriores:

11 comentários:

julio de castro disse...

oba, parte 8. como é o outro?

Dorothy C. S. disse...

Que bom que voltastes, menina...
Saudades da volúpia de seus textos!!!

Amnésico from Hell disse...

Você sabe fazer seus personagens irem até à pele, aos nervos, aos músculos...

E você diz que está sem inspiração?!

Moça, você é necessária à nossa blogosfera! Continue nos mostrando o caminho para nossa alma, leve ele aonde levar.

Você é nossa Sapho moderna. Não pare!

Beijo.

Amnésico from Hell disse...

Você é demais... demais pra quem te lê!

Parabéns, moça! Continue a quebrar as cabeças que te acompanham!

Beijo nosso!

Cais da Língua disse...

uauuuuuuuuuuu!!!!!!!

Livia Queiroz disse...

putzzzzzzzzzzz


o q dizer....

to sem palavras!
Mesmo!


Quando tiver mais me avisa

Conheça a Caixa de Pandora:
http://caixadepandora-09.blogspot.com/

um novo blog q tenho em parceria com a Camila Ragazzi

Ane Talita disse...

Que ótimo que voltou!!!

ADOROOOO

beijos

Lúcia disse...

Olha só quem voltou com tudo! Que bom ver você escrevendo outra vez com essa força!
Saudades também moça linda e talentosa! Venho reunindo forças pra fazer os ventos dançarem e provocarem as mudanças de que tanto preciso... as coisas não andam nada fáceis, mas estou procurando me segurar nas artes... aposto que elas têm mais poder do que julgamos possível, e é nessa direção que preciso seguir. Acredite nisto também e escreva, escreva mais! Espero ler mais textos seus em breve, e espero que a faculdade lhe permita este luxo...!
Grande beijo!

Sr. Personna disse...

Cálido e inspirador.
A cena, mesmo que descrita por poucos elementos, envolve deliciosamente o leitor.

Os espaços vazios, a secura, causam impacto e implicam quem lê a imaginar e viver um pouco dentro de cada persona.

E o que posso dizer do final? Um grande final? O arremate sedutor e perfeito.

Ana D disse...

Ousado...E bem escrito...rs

iilógico disse...

mas...
o que eu perdi?

bju-te