Estive pensando sobre a real utilidade do amor. Agora, vazia de qualquer sentimento, fico tentando entender o porquê de meus fracassos, ou melhor, o porquê de ser, quase sempre, a que acaba chorando no final. Sei que sofro de um mal: o de achar que as pessoas não são simplesmente descartáveis. Reluto, até as últimas forças, em abrir mão de alguém. Não me refiro ao que sinto, isso só se esvai com o tempo, mas ao outro, à companhia do outro, à amizade do outro. Talvez um dia me convençam do contrário, mas, hoje, para mim, ninguém substitui ninguém. Concordo que novas histórias acontecem, novas pessoas aparecem. Mas aquele lugar, o daquilo que passou, vai continuar onde esteve, desde o começo, mesmo que se tenha trancado o espaço e jogado a chave no mar. Sendo assim, quanto mais casos não dão certo, mais vazios coleciono por dentro e continuo me perguntando, a troco de quê? De gastos desnecessários de dinheiro, de tempo, de esforço? De noites em claro, dores de cabeça e auto-estima no pé?
Por essas e outras, eu desisto. Desisto de querer nutrir qualquer tipo de sentimento por qualquer pessoa. Desisto de tentar acreditar em algo que não merece crença. Desisto.
Amar é inútil.

27 comentários:

Thiago disse...

Desistir de amar é desistir de delirar, de enlouquecer...
Sem amor tão teríamos seus devaneios. Não desista.


"O verdadeiro amor nunca se desgasta. Quanto mais se dá mais se tem."
(Saint-Exupéry)

Morganna disse...

e eu, esses dias, tentando tirar essa coisa da cabeça pra não desistir dele.
o amor, digo. =)

TheJeebmeister disse...

Nem pensar nisso é bom... Se não ama, para que viver?!

julio de castro disse...

sim, inútil. útil é o meio para algo. inútil é a coisa em si, sem mais. amor pelo amor, arte pela arte, vida pela vida.

Jaya disse...

B.,

Fiquei a pensar. Isso que você chama "vazio", eu chamo "amor". Que não dá certo, mas fica. O amor, não é o outro, é a gente. E quando propomos que ele seja expulso, ele vai, mas fica. Fica com a lembrança de um gesto, um jeito de segurar o copo, a maneira de arrumar os cabelos, coisas que a gente amou. Porque o amar, pode até passar. Mas o amor, aquela parte dele que a gente teve, essa fica. Sempre fica. [E aquela parte do outro que a gente amou, vai amar infinito, também].

Mas isso aí é pura teoria minha. Pode ser que seja inútil. E, nesse caso, foda-se.

Beijos e beijos.

Lectícia, disse...

amar não é inútil, é uma incógnita!




lindo blog :)

i ILÓGICO disse...

fico na dúvida...
você ama e apenas escreve, ou escreve e não ama?
bem... é apenas sensação, o amar.
não é sempre, pois, algumas vezes, será o principal. mas, como disse jaya, o amor é em nós. primeiro.

bju-te, bárbara e aprecio teu blog...

Dorothy C. S. disse...

Pensei muito no que escrever...
Não poderia, justo aqui, dizer algo no qual não acredito...
Vale a pena amar ou melhor desistir???
Não sei... Oscilo frenéticamente entre essas opções...

Então, digo a unica coisa da qual tenho certeza absoluta:
Adoro seus textos!!! cada linha deles!!!


Bj

P. Matheus disse...

Mesmo que queira desistir é ínutil. Concordo com tudo que dizes, entretanto tem o outro lado, as coisas boas que o amor traz, cabe a cada um julgar se são mais e melhores que as ruins por ti citadas. Amar é inerente ao ser humano, você vai amar novamente quer vc queria quer não!

Leo Lemos... disse...

...os tribalistas já não querem ter razão, não querem ter certeza, não querem ter juízo ou religião, os tribalistas já não entram em questão, não entram em [política?], fofoca ou discussão, chegou o tribalismo no pilar da construção: pé em Deus, e fé na tábua. Um dia eu já fui chipanzé, agora eu ando só num pé.

Carlos disse...

Se o coração pudesse ser compartimentado, seria possível haver espaços vazios em nosso peito. Mas isso seria um exagero da imaginação. Pois não há lugares em nosso coração, porque nele não há espaço, não há extensão. Mas, se houvesse espaço, num certo sentido, seu tamanho dependeria da importância que damos a ele, da importância que damos ao que aconteceu e ficou ali guardado. E se o sentimento pode com o passar do tempo se diluir e cessar, deixando apenas uma imagem pálida e opaca em nossa memória, o mesmo pode se dar com o valor que damos a um evento vivido, que pode mudar de acordo com a maneira que o vemos e nos distanciamos dele. Talvez, então, em um dia não muito distante, todos esses espaços vazios se encolham, devido a maneira que você os encare, ou mesmo se comprimam com o peso de um sentimento maior que a preencha.

Basta apenas que um dê certo para que todo o resto perca sua importância.

selo negro disse...

Viver é inútil. Amar, apenas inevitável.

Melhor se acostumar com isso...

ɐlıɯɐɔ disse...

adorei seu blog, incansavelomente encantador.. ..
ai ñ fala assim... to amando.. rs beijos.

Cais da Língua disse...

Não necessáriamente amar é inútil...as vezes as pessoas preferem sofrer no monótono conhecido a se aventurar no desconhecido, permita-se!

Su disse...

É dificil acreditar nos sentimentos depois de tantas decepções. É dificil deixar-se cultivar por alguém depois de se magoar tanto...
Mas tente perceber se vc não está, de certa forma, idealizando as pessoas. Elas nunca vão agir da forma que esperamos... e quando idealizamos demais isso, sempre nos machucamos (e muito)...
Mágoas e decepções sempre irão existir... o que não devemos deixar é que nossa vida se torne só isso! Ainda tento acreditar que exista um aqui, outro ali, perdido... entre muitos... que saiba o significado da palavra respeito!
Bjsoss!!!

Érica disse...

Somos todos um bando de desocupados então, porque não há quem não dedique uma parcela enorme de um tempo (ocioso?) a esse tão temido vilão.
ótima reflexão, beijos!

Isa F. disse...

O amor e dor estão sempre juntos, um complementa o outro. Sem o amor, sem o encanto, sem o sentimento 'amar' uma pessoa não é nada, não sente nada e não vive nada.

Amm. L disse...

Desistir é triste, talvez nao tenha volta, mas no fundo sempre sabemos que ainda há um pouco de esperança. Que vai vir aquele alguem que vai mudar a situaçao...

linafuko disse...

aaaaah não desista assim... o amor não é tão inútil, o difícil é encontrar a pessoa certa, mas depois que a gente encontra não existe mais nada do que a gente possa querer!

Brigada pela visita, senti saudades ^^

Também fazia tempo que não vinha te visitar hehe

Mas não desista ainda! Você ainda há de encontrar o seu pequeno príncipe!

Amanda Luíze disse...

Reconheço-me totalmente em suas palavras.

Beijos

Lúcia disse...

Você me compreende completamente minha linda. Ninguém é descartável pra mim. Cada um tem sua grande importância. Disse isso pra um deles esses dias mesmo, bem assim:

Nunca fiz parte da legião leviana que entoa como se tivesse recebido uma lamentável lavagem cerebral: "a fila anda, a fila anda". Não, não considero as pessoas descartáveis. Não uso alguém como brinquedo, não manipulo, não exploro: respeito. Aprendo com cada um. Acho cada um a coisa mais importante e bonita. Cada um muda minha vida de um jeito especial, soma, só me faz crescer e ser melhor. Mesmo se me faz sofrer.

Mas elas, todas, acabam passando... levam um tanto de mim e me deixam mais pálida... mais cansada e decepcionada por investir tanto e ver tudo ir embora de novo... Mas mesmo esgotada não quero decidir que amar é inútil. Se amar é inútil, qual seria o ponto de toda a questão...?

Bárbara (B.) disse...

É exatamente isso que estou tentando descobrir, meu bem...

ɐlıɯɐɔ disse...

concordo plenamente com vc, porém, vou até o fim dos últimas suspiros(onde ñ são só um) e acabo somente quando de tanto me estabacar c/ akele unico ser, o destino, alguem, minha cabeça um sentimento, acabe me convencendo por mim só que ñ dará mais certo, então paro, respiro fundo e recomeço minha vida, mesmo que (cm é meu caso no momento) recomece-a c/ a mesma pessoa c/ quem eu me desiludi ou cansei de procurar a alma.. porém fiz isso, deu certo, tô amando, sem magoas nem feridas e acabo por me satisfazer melhor do que antes, e agora, sim, por fim, a sinto me amar. bjs querida espero que isso funcione de algum modo pra vc. felicidades e positividades!♥

Thiago Kuerques disse...

Desistir de amar é tao grande e tao surreal que nao existe. Amar e viver é uma relaçao intrinseca.
Beijos

Natalia Fênix Gótica disse...

O problema é amar mais e mais e peder o controle

Bruna disse...

Só o amor pra me deixar loucamente feliz e os mesmo tempo profundamente triste.
Vai ver é necessário ser assim.

O poema do blog não fui que escrevi, foi o Alvares de Azevedo.

Beijo

Jaya disse...

Eu, sou inútil.