Ysatsce

Parte VII:

As duas estavam nuas na cama. Ela, sentada, pernas cruzadas, segurando a cabeça da outra junto ao lençol de seda vermelha, mantendo a bunda empinada e a vagina aberta para o deleite visual dele.
- Entendes que, sendo dela, também és minha?
- Sempre quis ser sua...

Ele, em um movimento rápido, forte e preciso, deixa a marca da mão no que tanto observava do corpo branco da outra.
- Limite-se ao sim ou não.
- Sim.
- Senhor.
- Como?
- Repita: Sim, senhor.
- Sim... senhor.

Ela faz uma expressão de puro desdém e larga o que segurava, fazendo-a cair na cama desajeitadamente. Abre as pernas o máximo que consegue, joga o corpo para trás, apóia as mãos na cama e sorri safada.
- A minha vez, quando chega?
- Por mais que eu te ensine, tu insistes em continuar mostrando insolência!
- Estou cansada de ser relagada a segundo plano! Estou cansada dela!
- Cale a boca.
- Quero estar contigo e só!
- Teu querer e nada é a mesma coisa.

Ela cospe no chão.
- O que estás procurando, menina malcriada?
- Meu castigo.

Ele sorri, um sorriso de canto de boca. Vai até o outro cômodo e volta com alguns metros de corda negra nas mãos.
- Está aqui teu castigo.

Ele a amarra com destreza e a deixa sentada sob as pernas, no canto do quarto, de frente para a cama. Tinha os braços presos atrás do corpo, unidos às coxas e aos pés.
- Aproveita o espetáculo.

Ele enche o corpo da outra de um rubro atraente com tapas alternados e cada vez mais fortes, arrancando gemidos variados de prazer e de dor.

A outra volta à posição atraente, oferecendo a ele o que ainda mantinha intocado, o que nunca pensou em dar a ninguém.
- Não vou negar, mas espera por ordens para fazer o que quer que seja. E vê se aprende melhor que aquela ali.

Ele saciou-se com volúpia aos olhos dela que choravam lágrimas de ódio e tristeza.
- Não era esse castigo que tinha em mente... a tua menina sou eu. Sou eu.

***

Anteriores:
Parte I
Parte II
Parte III
Parte IV
Parte V
Parte VI

27 comentários:

linafuko disse...

Você é a mestra nesse estilo sádico de escrever!
Céus! Como isso arrepia... ao mesmo tempo que excita dá uma certa apreensão nessas tuas palavras...


===

Faz tempo que não venho aqui ler... estou sem net agora.. mas vou fazer o possível para passar aqui xD

bjuus!

PequenAprendiz disse...

Dona Bárbara escrevendo como quando cheguei aqui pela primeira vez.

Tanto domínio de um, tanta loucura de outra, tanto desejo deles.

Adorei!

Beijos

Lúcia disse...

Então, preciso mesmo escrever mais... preciso, antes de mais nada, de paciência com minha internet insuportavelmente lenta. Tente, com certa pressa, acessar páginas dentro de uma rede com mais de três computadores (todos em constante processo de download!) pra tu ter uma idéia de como me sinto...!

E, mulher, adorei isso! Me fez lembrar perfeitamente de certos segredos revelados nos últimos dias, descontando um pouco de sadismo...! E adorei o "movimento rápido, forte e preciso": tapa mal dado é realmente uma coisa broxante...!

Beijos daquela que está de volta à cena!

Sentimental ♥ disse...

Envolvente. Deu até pra sentir a 'raiva' da outra... aliás, deu vontade de participar da coisa. beijos

Camila. disse...

Haha, e eu que adoro teus Ysatsce!
Pobre menina, pobre castigo!

(Também adorei te conhecer, Bê.)

''Você é a mestra nesse estilo sádico de escrever!''

alessandro disse...

Final de semana, final de semana!

Estará disponível no final de semana?!

Johnny C disse...

concordo com a senti... envolve mesmo. estava com saudades de ler aqui! =)

beijos!

Maria Fernanda disse...

Que loucura, B.

jessicadeverdade disse...

Noooooooooooossaaaaaaaaaaa que loucura!
Que tesão!!!!
Amei seu blog...
fantástico

Bruna disse...

tu deverias escrever um livro!

Paul disse...

Mais uma história que faz passar a língua entre os dentes e lábios.
Aprendeu msm com Sade, Anäis & cia.

Beijos, moça provocante.

Dorothy C. S. disse...

Que bom que voltastes...
Adoro seus textos!!!!
Não sei se causas essa sensação em todos os seus leitores, mas, quanto a mim, sinto-me livre e dona de mim a cada texto lido!


Agradecemos o seu retorno!!!

Sr. Personna disse...

Um orgasmo. Tive ao lêr-te!
Perfeito, perfeitamente envolvente.
Sedutor, eloquente!
Deliciosamente perverso!
Você me surpreende a cada vez que venho cá e leio.
Uma maestria que não me recordo da última vez que vi nesse tema.

Anônimo disse...

Eu vejo você.... Bu!

Ane Talita disse...

Ahhh...Esses teus textos....;)

beijo, flor!

Leila Saads disse...

Quente!
Quero ler o resto pra entender melhor...

Beijos!

Jaya disse...

Bárbara,

O tom do texto me lembrou Chico, em “O meu amor”. Principalmente o final, que se conecta ao trecho:

“Eu sou sua menina, viu?
E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz”

Haha! Ando vendo Chico em todo canto, ultimamente.

E moça, te ler faz bem. Seja em tom voluptuoso, seja falando de amor, de sexo, seja falando do outro, de si. Vai ver essa diferença bem-vinda é coisa de quem encontrou sua Pasárgada. Porque tua escrita, teu jeito de enfeitar as letras, tem um toque de qualquer coisa que não se acha em outros cantos.

Teu link já está lá, fazendo parte das minhas melhores janelas. E sim, tô dando um tempo com o blog, mas enquanto não volto, vou aparecendo aqui pra te visitar sempre que der.

Beijo pra você.

L.S. Alves disse...

Parei hoje para ler as sete partes. Muito bom. Resta continuar para ver onde isso vai parar.
Um abraço moça.

Ataualpa S.Pereira disse...

O que dizer? A leitura possui o sabor dum destilado: forte e necessário.

Se a intenção, além é claro da continuidade, era provocar púlpitos ao leitor, fostes muito bem.

Aguardo o próximo.

Grande abraço.

Pedro Pan disse...

, não conhecia esta novela. vou ler os outros capítulos.
, beijos meus.

Mariliza Silva disse...

Uauuuuuuuuu

Acho que fiquei muito tempo sem visitar este cantinho tão tão.. vermelho!!!! e quanto calor está fazendo aqui, poxa!!! liguem o ventilador.... estou abafada e ofegante!!!! yahooooooooooooooo rsrsrs

Querida, saudades de você. Estou voltando aos pouquinhos...

Um beijão e some não

Mariliza

Rafael Velasquez disse...

ai menina! ai de mim!


beijo.

Sunflower disse...

ah, feladaputa, tu escreves pra caralho!

beijaaaaa

disse...

Esse negócio tá esquentando, hein? Quero ver onde vai parar... aliás, vai parar?

Edu C. disse...

Intenso! Provoucou-me sensações contraditórias... ou aparentemente contraditórias.
Parabéns pelo belo estilo.

julio de castro disse...

moça, moça... precisamos conversar sobre esses seua textos.

mil coisas.

o amnésico disse...

Time travel: um pouco antes de jorrar mais esse jato de lava erótico-sado-masoquista-passional, você se perguntava se teria percebido ou imaginado 'um quê de sadismo' num poemeto meu, lembra?

Respondendo a minha moda (referência literária): você já ouviu falar de um tal Dr. Henry Jekill?

Você viu (e só você) o que havia para ver: that's us.

Dicothomic kisses.