Um vazio pintado por várias porções de nada. Era um quadro de pura solidão. Olhava ao redor, procurando desesperada alguém com quem conversar, uma mão que pudesse segurar, um olhar que a confortasse ou um sinal qualquer de vida que não fosse a dela. Miserável, aliás. Existência infundada, amaldiçoada, perdida. Ela chorou, soluçou, teve dificuldades em segurar o cigarro na mão em meio a tanto drama. Ele caiu no chão, queimando-a levemente. Por um segundo, esqueceu de suas dores, suas perturbações. Pegou-o no chão e começou a marcar o corpo inteiro. Várias manchas cinzas e redondas. Durante muito tempo só tinha o pequeno incômodo agudo para agüentar. Ela sorriu.
Quando não tinha mais com o que se machucar, o peso que carregava voltou a ser insuportável e ela gemeu inconformada. Sentada, batia a cabeça repetidas vezes na parede, cada vez mais forte, até sentir-se tonta demais e parar. A tontura mostrou-se outra forma de alívio eficaz e, novamente, um sorriso formou-se em seus lábios. Ela os mordeu de leve, tinha os olhos vidrados e as mãos geladas. Reconheceu, com dificuldade, a faca que colocara perto da cama para eventuais necessidades. Aliás, nunca conseguira livrar-se da paranóia que a acompanhava desde pequena.
Arrastou-se lentamente até ela. Pegou-a com as duas mãos e demorou muito tempo antes de cortar-se. Duas vezes, de maneira segura e precisa para uma inexperiente. Olhou o sangue que corria desesperado para fora do seu corpo. Ficou hipnotizada com aquilo, balançando-se para frente e para trás. Foi perdendo o sentido das coisas. Não sentia mais os pés, as pernas, os braços. Não sentia mais a si mesma. Pronto, agora estava realmente só.

14 comentários:

Diva disse...

Porra!!! Desculpa mas foi o que me saiu... Essa foi forte...demasiado. Sinto o cheiro do desespero ate aqui. Da falta. Da solitude. Da ida depois de tanta vinda. Magoas. Vida. Morte.
Bem escrito.
Bjs meus

Camila; http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=2746358637057991869&pcy=3&t=0 disse...

Porra [2]
Lindo. Muito. Demais, até. Verdadeiro. Sincero. Meus parabéns.

Passo por isso todos os dias, estou aprendendo a me controlar.

Camila.

luiz disse...

Interessante. Todos esses anos contribuiram para um refinamento do estilo, no entanto, não tenho como não ver a Bárbara que acredito conhecer.

Beijos, com z.

laura disse...

céus! que medo disso...

suicidio é uma coisa que me dá pavor...

talvez porque me cause fascinio também...

o.O


bjuuus

pow... não da mais pra mandar como Outro ?
=/

esse google me decepciona...

Edgar Sollers disse...

Denso, doído demais, escorrido à velocidade certa. Na ausência de outras cores, a personagem cobriu de rubro o quadro da pura solidão. Às vezes é a única cor que temos a oferecer. Maravilhoso, minha cara B., maravihoso.

Vinícius disse...

.

é, né...

no suicídio ela encontrou a solidão sem possibilidade de procurar qualquer companhia, a não ser a de algo superior...

triste, hein.

.

O Profeta disse...

Vim visitar-te e saborear os teus sentires...

Trago comigo o aroma da terra
Sandálias feitas de alva espuma
Um dom cravado nesta alma singela
Um oceano de sonhos perdidos na bruma


A magia está a chegar no brilho de uma estrela
Reflectida nos teus olhos


Boa semana


Mágico beijo

Ana D disse...

Contundente...Extremamente bem escrito...Embora sombrio ..Mas tem beleza !

Edson Marques disse...

"Um vazio pintado por porções de nada": belíssimo!


Sim, eu sempre leio um monte de livros ao mesmo tempo. E não marco fisicamente as páginas... rs!


Quanto à tuia frase, eis o que me fez pensar:

Faz muito tempo que eu não perdi a minha inocência.



Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.


Abraços, flores, estrelas..

amanda luisa. disse...

e para sempre.
;)

L.S. Alves disse...

Moça tá muito bem escrito.
Já vi uma pessoa bater a cabeça na parede até sangrar. Com certeza não é uma cena agradável. Mas o seu texto está ótimo.
Um abraço.

Edna Federico disse...

Parece real e daí me pergunto sempre que vejo ou leio algo assim: "o que faz uma pessoa cometer esses atos, de se machucar, de se matar, de não se amar..."
Acho que nunca vou entender...
Beijo

disse...

Me senti tão ferida quando ela... de dar um aperto no peito... angustiante... e lindo, claro.

Lucia disse...

Isso me lembra uma época difícil da minha vida...

Triste e bonito...