A cada riso teu, um choro meu. A cada prazer teu, uma dor minha. Complementares, nós somos. Eu poderia ter te amado para sempre, incondicionalmente. Mas não quiseste, abusaste do meu bom senso e eu me calei. Continuei te amando, assim, muda. Olhando-te escondida, seguindo teus passos. Sofrendo ao ver-te beijar bocas que mal conhecias. Difícil desapegar-me desse meu orgulho infantil. Fico aqui com ele e com esse amor sem fim. Juro, já o mandei embora em todas as línguas que conheço, mas ele é teimoso, diz ter gostado daqui. E eu vou tentando andar, mas só caio, sigo meu caminho às sombras do teu. Alimento-me com as migalhas de atenção que ainda me ofereces. Generoso, tu és, admito. Mas não me satisfaz, nunca nada é o suficiente. Preciso do tudo, do todo, de ti... Ah, aparentemente o tal amor cansou de mim. Tchau, ele me disse, vou procurar outro hospedeiro tão imbecil quanto você.

Acho que agora volto a ser quem sempre fui.

16 comentários:

Ana D disse...

ahhhh...esses desencontros de sentir...Mal entendidos...Enfim...

Diva disse...

C'est la vie.
Caminhos... encontros e desencontros. Destinos que se perdem ou se unem...Logo saberemos se a volta a vida foi total, ou se o amor pelas migalhas (re)nasce.
Bjs meus

diego bueno disse...

Fazia tempo tempo que eu não aparecia por aqui...na verdade, faz tempo q não apareço em blog nenhum...até mesmo o meu próprio eu tinha abandonado...mas já me atualizei em relações aos seus posts...em primeiro lugar, eu preciso comentar...vc é muito boa em escrever textos com alto conteúdo erótico sem parecer nem um pouco vulgar...consegue fazer os atos de seus personagens nunca serem meramente gratuitos ou apelativos...

Mas seus posts sobre a entrega sentimental a que alguém pode se submeter qdo possui extremo afeto por alguém...também são igualmente intensos e agradáveis de se ler...cada palavra que você escreve faz muito sentido qdo leio...

Qto ao filme “London”…ele de fato é muito bom...vc definitivamente iria gostar...todos os meus amigos para quem eu o emprestei apreciaram muito ele...pena que moramos tão longe um do outro...

bom é isso ae...um abraço...
até...

Edson Bezerra disse...

Esses desencontros acabam com nossa vida. Mas, siga em frente, ok?
Que bom que manteve o Devaneios em pé.

Aliás, posso te indicar para dois "Selos"? Estão disponíveis no Apenas Um...

Beijão

Christallina disse...

Linndoo!

Dramático, que nem eu.


Uma coisa, tenho certeza: Isso passa; Pode demorar uma eternidade pra você, vai querer desistir, mas quando menos esperar... boom! Passou!

;)

julio de castro disse...

um pouco de 'normalidade' faz bem. mas só um pouquinho.

abraços pra ti.

J. disse...

Ledo e triste engano teu. O tal amor não se cansa de ti. O 'Tchau' foi dito ao orgulho. Não há hospedeiro melhor que ti.

Volte a ser quem sempre foi... a minha inefável menina. Amo-te incondicionalmente.

Helder Hortta disse...

"Mas não me satisfaz, nunca nada é o suficiente."


Quem será que mais quer num relacionamento. Quem dá ou quem recebe?

isso me assaltou agora lendo teu texto.

Tem horas que você me pertuba \o/

beijOs meu em te

o amnésico disse...

Sempre tangendo cordas ocultas da alma, perturbadora e lírica.

Adejar pela vida é difícil, com tantos vendavais no caminho, mas testemunhar seu vôo inspira o caminhar de quem vive preso à terra.

Voe, falena, voe!


Beijo.

o amnésico disse...

Sobre este meu último texto: se uma mera paródia (como você bem notou) em que não se diz absolutamente nada pode ser assim perigosa, é caso de eu considerar parar, não digo de escrever, mas de pensar...!

Afinal, eu não quero repetir Nietzsche e ser responsabilizado por possíveis interpretações mal-intencionadas do que escrevo.

Bia Ferreira disse...

desencontros... nem sei se existe mesmo algum encontro..
deixei algo na tua cabeça??? Bom, essa é a idéia..
beijocasss

Gabriela disse...

Bárbara, eu te digo:

Te gosto tanto. Te gosto tanto. Te gosto tanto. Te gosto tanto. Te gosto tanto. Te gosto tanto. Te gosto tanto.

Digo 7 vezes que é pra dar sorte.

Bruna Vile disse...

Amor!
nada sei sobre ele e nem me arrisco a falar sobre tal sentimento!

Lüb disse...

Existe uma cidade, passa um furacão.
a cidade é redconstruída, mas não é a mesma coisa, pessoas as vezes morre, lembranças são perdidas na tormenta e entre os esconbros das casas. Ela pode ser reconstruída, mas em uma nova forma.

Pedro disse...

Se a gente não se conhecesse apostaria que foi escrito para mim? kkkkkkkkk
Faltam-me palavras pra elogiar-te!
Bjs

Edna Federico disse...

Acho que a música que postei hoje no blog, serve para esse seu post.
Beijo