Fico me perguntando quem inventou tudo isso, digo, quem olhou pra mim e falou: Bárbara, você vai existir, vai ser estranha e babaca. Não sei, vai ver foi o anjo torto do Drummond. Mandou-me ser gauche, pensar demais, falar de menos, agir por impulso e figurar como um poço sem fundo de compulsões e manias. Não, não me pergunte, eu nunca iria relevelar quais são elas, ou pelo menos, todas elas. E, sim, a loucura é crônica, instalou-se, não sai mais nem morrendo. Já imaginou um cadáver maluco ou, para quem acredita nessas bobagens, uma alma doida? Diferente, né? Está aí algo de que me orgulho: não ser igual a todamulherquevocêencontraporaírebolandoaporradabunda. Não que eu não rebole ou não tenha bunda, muito pelo contrário, mas, enfim, deu para entender. Eu acho. Ou vai ver eu sou a única a ver nexo nessas coisas que eu escrevo. Algumas vezes é bem difícil, confesso, mas eu acabo conseguindo. Será isso algum tipo de super poder? Está vendo? Agora eu acho que sou algum tipo de heroína. Heroína. A droga, talvez. No melhor sentido da palavra e na pior conseqüência dos efeitos.

13 comentários:

Mila disse...

Saísse da loucura pra heróina em algumas poucas linhas... e talvez seja mesmo só uma linhazinha que separe as duas na realidade!

;*

Ataualpa S.Pereira disse...


De tanto mirar
seu reflexo no espelho
desfez-se em pedaços!

Mariliza Silva disse...

Querido amigo blogueiro

O endereço do meu blog mudou: Favor atualizá-lo. Só o nome mudou, mas eu continuo a mesma!rsrsrs

http://tempodesaturno.blogspot.com

Beijão e depois volto para te curtir mais
Mariliza

Ana Gotz disse...

Sempre forte e profundo!

Parabéns!

Monsieur Coçard disse...

pois é... e eu sempre droit...
bárbara... todo mundo é babaca.. vez ou outra na vida... até teu querido chico o é... mas enfim, a vida é assim!

beijos

Bárbara P. disse...

Amei o final!

Quando nasci, o anjo torto disse: "fica quieta, Bárbara!" Eu, como fingindo não entender, desatei a ser pessoa que fala... aquele anjo estava certo.

Mas ainda acho que ele deveria ter dito: Ama menos, Bárbara.

Thiago Kuerques disse...

E eu bem acho que você é uma X-men

E adoro isso...adoro teus posts e seu jeito unico

Se assim for...também tenho poderes...mas nao sei usar
Beijos

Mariliza Silva disse...

Uma coisa está confirmada: Você é ùnica!

Beijão

Mariliza

Paulo Fernando disse...

Bom, eu acredito que vc se encaixe mais no perfil da droga heroína: seus textos são viciantes... agente acaba ficando dependente disto...

Daqui há alguns anos vai ser muito frases desse tipo: "vou entrar na internet para injetar um pouquinho de Bárbara (ou Babi, ou B.) numa das veias do meu cérebro. Hoje o dia está tão comum..." hahahah

Bjos, minha querida!

Ácido Poético disse...

Intenso, na veia...

Um beijo pra você, que inventou esse post maravilhoso
Brunø

Moura ao Luar disse...

Todos temos as nossas particularidades loucas :-)

LuzDosOlhos disse...

Nossa! Q post legal!
:)
Gostei daqui...
bjim

J. disse...

Heroína sim, porém não a droga.
Se droga, seria a perfeita.