Peguei-me, hoje, no extremo do meu egoísmo, deitada na rede, fitando o nada, imaginando como seria a sensação de ver-me em outrem. Observar um serzinho, assim, com as feições parecidas, mesmos sonhos e fantasias, vontades iguais, a maldizer todas as coisas que nunca me interessaram. Sentir o maior orgulho do mundo ao perceber que, aos poucos, os livros que o agradam são os mesmos que um dia moldaram-me os pensamentos, que as músicas que ele ouve são aquelas que sempre cantei e gostei e arrepiei-me ao ouvir. Passar horas filosofando sobre o tudo e o nada, sobre aquelas figurinhas que sempre admirei. Vê-lo crescer com inteligência, sendo crítico, com um senso de justiça apurado, lutando pelos seus ideais, em busca de ser e ousar, sempre. Ah, hoje eu me permito ser egoísta. Hoje eu quero mais é ser mãe!

14 comentários:

Mariliza Silva disse...

Concordo em termo, número e grau com você, mas não sou eu que não vivi... os poréns são da outra parte...

beijos

Mariliza

Edson Bezerra disse...

E onde está o egoismo nessa história toda?
Egoista nada, mulher. Isso é seu e não pecamos por pensarmos em nós ou no que nos interessa.
Quisera eu ter uma rede em minha varanda...

Edson Bezerra disse...

Então, mudo a frase. Quisera eu ter uma rede no meu quarto!
Melhorou?

kuriozza disse...

Todos somos egoístas..

E uma rede é fundamental para pensar ;)

Paulo Fernando disse...

Alguma vez na vida a gente precisa pensar somente na gente. É verdade. Fez bem, ou melhor, muito bem!

Bjos, minha querida!

Sebastiao Moura disse...

Esses hormônios, heim!!?

Moura ao Luar disse...

É bom sonhar com esses momentos, um dia há-de chegar a realização do sonho

Ataualpa S.Pereira disse...

Há duas manifestações de ego. Notem que em momento algum há a presença d'outro progenitor, quer ele presente ou não, também indica dividiria peculiaridades.

Não é oposição ao gênero, mas sim uma observação curiosa.

Um abraço.

Otto Sobral disse...

Minha querida, Colombina.

Linda a egoísta manifestação maternal de ontem, pena que ela depende apenas 50% de você. =( Devo confessar um segredinho, eu já sonhei tanta vezes em me ver em outrem, um "euzinho", com traços físicos, psicológicos e intelectuais semelhantes, iria apertar tanto! rs

Caindo em mim, depois, com bom senso, reconheci a individualidade do "euzinho" que, na verdade, é "elezinho", mas, ainda assim, não me conformei. Resgatando as lições de evolucionismo, lembrei que para aumentar as chances do "elezinho" ser o mais parecido possível comigo, deveria buscar um parceira com carga genética parecida, logo, a seleção natural passou a imperar na minha vida. Adaptação é tudo! hahaha A sugestão não é tão banal quanto parece, probabilisticamente é isso. hehehe

Oh, devaneio matinal. Isso era só pra te desejar um bom dia.

Bom dia. =)

Júlim Oliveira disse...

não sei se é egoísmo...




ai que vontade de ter uma rede aqui agora

Júnior disse...

Egoísmo? Minha atenção em particular foi chamada pela manisfetação do desejo de ser mãe. Desejo que todo homem inveja e não assume, talvez por conta de nossa cultura machista. Afinal ser mão é mais que um simples ato de amor, é ato de generosidade e coragem, é ser mais que uma simples pessoa qualquer.

Beijos querida.

Milene Maciel disse...

Metade você, metade quem você ama.
Tem serzinho mais perfeito no mundo?!
Ter um filho deve ser querer o mundo mesmo. Usar e abusar do egoísmo. Mas, contrariando o sentido da palavra, o egoísmo mais altruísta que existe.
Quem é mãe não deseja mais o mundo pra si, mas pro serzinho que eu citei lá em cima.

Lindo Post!
Amei, amei mesmo.
=)

Tava com saudades de vir aqui.

Beijão Babi (se é que posso chamar assim. Acho tão bonito =T )

Ps: Tá bom vai... "Somos todos dois!" Melhorou?
=DD

dän disse...

que lindo...
perfeito esse post.

eu tb quero ser, um dia!
mas não consigo me imaginar
assim, sabia? é mto estranho.

Lais Mouriê disse...

Ah, que delícia deve ser mãe e ver tantas coisas desabrochando!

Bjooos