Ele, ela, praia, tequila...

(uma parceria com o querido Sebastião Moura)


Ela queria fazer alguma coisa diferente. Eu também. Quem deu a idéia de ir à praia à noite, conversar e esperar o dia amanhecer foi ela. A tequila foi idéia minha. Quando estivesse perto de sua casa, telefonaria, esperaria lá em frente, atravessaríamos a rua e já estaríamos na praia. Morar à beira-mar de Boa Viagem, coisa boa, não?

***

Não nego que tive segundas intenções quando o convidei, mas precisava desesperadamente sair de casa, beber, fazer algo diferente. Olhei o relógio. Estava em cima da hora e eu não conseguia decidir o que usar ou levar. Ele ligou. Peguei rápido o primeiro vestido que vi e o violão. Desci correndo, detesto fazer as pessoas esperarem por mim. Cheguei meio sem fôlego e só consegui rir quando o avistei. Devo ter causado alguma má impressão, não sei. Decidi apenas segui-lo até a areia sem falar nada. Certas coisas me deixam desconcertada.

***

Mulheres! Ela deve ter passado um longo tempo pensando no que vestir, ou coisa assim. Chegou ofegante até mim, sorriu - como eu gostava daquele sorriso! -, estava com um vestido que eu adorava vê-la usando, trazia consigo o violão. Chegamos até a areia em silêncio, fomos molhar os pés no mar. Ela estava tão bonita, cabelos soltos... Aquilo me fazia sentir umas coisas que eu não sabia explicar...

***

Fomos até o mar molhar os pés. Ele me olhava diferente e eu senti meu rosto corar. Peguei um pouco de água com as mãos e joguei em cima dele, tentando descontrair. Comecei a rir, roubei a tequila e sai correndo. Às vezes, me sinto tão infantil. Fiquei mais aliviada quando ele me seguiu rindo e me abraçou, tomando a garrafa das minhas mãos e sentando.

***

Jogou água do mar em mim com as mãos, roubou-me a garrafa e saiu correndo, uma criança. Linda criança. Ainda bem que ela havia feito aquilo, não queria deixá-la sem graça caso ela perecebesse meus olhares daquele jeito diferente, mas eu não podia evitar. Corri atrás dela, só queria um pretexto para abraçá-la e sentir seu cheiro bom. Tomei de volta a garrafa, sentei-me, ela sentou-se ao meu lado, perto o suficiente para eu continuar sentindo seu perfume. E vieram as primeiras palavras da noite, as primeiras notas de violão... e as primeiras doses da tequila...

***

Começamos a beber e o papo fluiu. Conversamos sobre tudo com a maior naturalidade, até o álcool fazer efeito e certas bobeiras saírem dos meus lábios. Fui baixando o rosto, olhando o violão caído na areia à medida em que o assunto ia ficando cada vez mais íntimo. Normalmente não me sinto tão constrangida em falar sobre esse tipo de coisa e ainda não consigo entender o porquê dessa timidez boba. Soltava algumas risadas nervosas e gesticulava muito, decidi beber mais para me manter quieta.

***

Não suportei não tentar beijá-la.

***

Um silêncio repentino se instalou e me fez olhar o céu, à procura da lua. Senti a mão dele tocar-me a nuca e o olhei. Nossos rostos estavam tão próximos que podia sentir o calor da sua respiração. Recuei quando senti os seus lábios tocarem os meus. Sorri e recebi um beijo delicioso.

***

E surgiram mãos, línguas, pernas, seios... Ali na areia, ninguém por perto, amando-nos feito dois pagãos. Esqueci do tempo e de qualquer outra coisa, éramos só nós dois.

***

Nada mais fazia sentido. Em poucos minutos estávamos ofegantes, suados, cansados. Uma urgência louca havia tomado conta dos nossos corpos. Ficamos assim, nus, deitados na areia, olhando o sol começar a nascer com um sorriso de satisfação desenhado nos lábios.

***

Tudo parecia fazer sentido, o universo estava em harmonia. Senti-me no céu. Um anjo estava ao meu lado. E eu acabara de fazer amor com ele.

23 comentários:

T'maitre disse...

Está ficando mais romantica B.? Rs.
Hm~ Slept.

-=|Åñð®ë§§ä|=- - disse...

Parceria boa esta heim? O texto está muito bom. Parabéns aos dois.
Concordo com t'maitre, está mais romântica rsrs
beijão

kuriozza disse...

Os dois lados..
Seria bom se nós pudessemos saber o que o outro deseja nesses momentos, mas sinceramente, no fundo, sempre sabemos..

E se por aqui a violência não estivesse tão gritante, eu comemoraria os meus três anos de namoro exatamente dessa maneira ;)

Paulo Fernando disse...

Partindo-se da premissa de que anjo não tem sexo, deve ser maravilhoso transar com algum. Fico imaginando nas manobras utilizadas por eles, as quais devam substituir lindamente as genitálias humanas comuns...
ops... tô viajando!

Esqueci q tudo não passava de uma metáfora (e metaDENTRO TBM... HAHAH)...

bjosssssss

diego bueno disse...

expor e contrapor os pensamentos de 2 personagens como num diálogo de entrelinhas é um recurso bem interessante...juro q estava pensando num post no mesmo estilo a tempos...vou ver se escrevo qq dia desses...alias ótimo texto...

até...um abraço...

Bárbara P. disse...

Quero o mundo onde os anjos fazem amor com os demônios. Um anjo mau e o demônio bom.

Ataualpa S.Pereira disse...

Incríviel como o desejo fomenta inúmeras situações, não? Longe de mim ser criacionista, mas há algo no édem que foi subvertido no decorrer da história.

Um grande abraço!

Sebastiao Moura disse...

Gostei da parceria!

Júlim Oliveira disse...

Que delícia desse texto...
praia,tequila, violão e um bom parceiro... deve ter nada melhor mesmo não...


P.S: voltei com meu blog
=*

Mah disse...

Nooooossa
romanticamente sexy! adorei...

faz tempo que não venho aqui né B.

beijos

Ácido Poético disse...

Nossa...desejo ardente, vontade louca, beijos, amor, carícias e tequila! Arriba, arriba! Beleza de texto!

beijos mil
Brunø

Monsieur Coçard disse...

aew Bruna, olha só que boa parceria!
Cenas comuns, mas contadas com maestria! muito bom... um que de sublime parabéns! mas fala a verdade... o sebastião fez tudo! :P

Mila disse...

muito boa essa parceria!
bateu até uma vontade de correr pra pria..

descobri que eu tava confundindo =T mas então você tem alguém com o mesmo nome que pensa parecido, gosta das mesmas coisas e escreve num mesmo estilo. http://www.tantatinta.weblogger.terra.com.br/index.htm
esse aí é o link do blog antigo dela..

;**

Thiago Kuerques disse...

Olha, para qualquer leigo isso parece ser real.
Para todo o resto o sonho disso é ser real.

Gostei demais da "conversa por pensamentos" e da leveza.

Beijos

Old Memories disse...

Lindo texto e ótima parceria. Incrível como me remeteu a um passado distante. Uma antiga namorada, uma garrafa de tequila Jose Cuervo e a praia do Leblon. Pena que o meu final não foi tão romântico, pois um policial apareceu e por pouco não fui preso rssss. Se eu pudesse reescrever minha vida gostaria que tivesse sido assim como no seu texto.
Beijos
Tadeu

Duda disse...

gostei por dois motivos:
um, a forma. ficou bem legal essa coisa seguida da visão de cada parte. no fundo acho que todo mundo tem um pouco de vontade de saber essas coisas...
dois, pelo conteúdo mesmo. gosto desses escritos sobre pessoas meio desconcertadas (timidez, insegurança...)
beijos!

Edson Bezerra disse...

Parabéns pela parceria. Se fizeram com originalidade, saibam que vão surgir muitos outros seguindo o caminho.
Ficou legal. Escrevem bem o dois. Combinaram bem.

beijão

Renata disse...

Eu que adoro um romance , uma aventura assim só poderia me emocionar e pensar como seria bom estar lá e viver as mesmas emoções !!
Parabéns

bjs

Júlim Oliveira disse...

passando pra deixar bju

;*

Moura ao Luar disse...

Adorei a ideia, óptima para por em prática lá em casa e fazer algo diferente hehe

Rachs disse...

ehhh!
ando constrangida! ahahahha
mto bem descrito! senti a agua nos pés!
bjos

R Lima disse...

Na verdade a grande maioria mesmo com uma frase como acessório tem meu pensamento livre exposto...

Gostei do comentário... sua visita será sempre bem vinda...

Abraços,



[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Ácido Poético disse...

Estava com uma saudade dessas palavras...

Desculpe a minha ausência. Viagens, trabalho, workshops...

Beijos de sol
Brunø