Tento, desesperadamente, entender os seres humanos, mas apenas me frustro. Sei que a vida é cheia de frustrações, só que elas vão se tornando cada vez mais frustrantes e isso piora, consideravelmente, a minha loucura. Quando era pequena, tudo que eu mais queria era conseguir ler a mente das pessoas para assim, poder compreender melhor aquele monte de seres esquisitos. Eu sei, sempre fui avançada demais. O mais engraçado foi me dar conta de que eu não sou assim tão diferente, aliás, não sou nada diferente, mas exatamente igual: tão anormal quanto, tão louca quanto, tão incompreensível quanto. Ou talvez pior. Aí veio a adolescência e a crise foi ficando cada vez mais grave: depressões, automutilações, tentativas de suicídio e uma sensação angustiante de fracassos eternos. Sim, eu já disse que não sou normal. Como nem tudo resume-se a desgraças, amei loucamente e parecia ter voltado a ser apenas mais uma na multidão (tirando meu ciúme louco e a vontade de matar toda e qualquer mulher que chegasse perto dele, claro). Então, depois de uma decepção monstruosa, decidi me fechar a sentimentos muito fortes e voltar a tentar buscar algum sentido para a vida. Viajei muito, conheci outros homens, cometi insanidades, voltei aos problemas anteriores, mas aqui estou: viva. Ou, pelo menos, é o que parece. Ainda sinto essa sensação esquisita no estômago, essa vontade sem sentido de saber o porquê das coisas. O pior é que quanto mais eu leio, vivo ou vejo, menos pareço saber e mais parece existir segredos a serem descobertos. Minha vida torna-se, enfim, uma incansável busca pelo nada. Sim, o nada. Por que quando o acúmulo do "tudo" é muito grande, acaba-se tendo porra nenhuma em mãos (a filosofia explica isso, acredite).

15 comentários:

Bia Ferreira disse...

Eita, você é uma montanha russa de sentimentos...
lindo esse texto e verdadeiro também..
beijos, boa semana...

Bárbara P. disse...

E não ter nada nas mãos não é a coisa mais libertadora do universo?

Renato disse...

tô tentando... tô tentando...

mas simplesmente não sai nada.....

parece que não sei mais escrever.... não sei como expressar o que penso em palavras....

simplesmente não consigo.....

a tela do blogger já está lá aberta a algumas horas esperando ser preenchhida...

mas continua em branco....



e eu tinha lido seu texto, mas não achei certo comentá-lo com tão pouco a dizer.....

mas vale dizer que eu tbm tenho tido muitas frustrações....

acho que todo mundo que não se encaixa muito no.... (sitema¿ nas convenções¿ acho que vc entendeu o espírito da coisa) acaba se sentindo frustrado.

Enfim...
talvez saia um post hj...
talvez um tapa-buraco....

sei lá....


Beijosss!!!

Fê Probst disse...

é praticamente impossível entender todas as pessoas.
desiste. e tenta entender à ti mesmo (o que é tão impossível quanto)

beijos

Paulo Fernando disse...

A gente tenta crescer junto com os outros. A gente nem liga muito para as coisas que dizem sobre a nosso respeito. Fingimos uma certa indiferença.
Aí, me vem um poeta pop dizer: "tudo o que importa é o amor". Será?

Bjos, minha linda!

Daniele disse...

B,

Eu vejo em ti uma mulher demasiadamente inteligente, com um senso latente das coisas, permeada na busca, em sentimentos (uma contante em nós seres humanos).

Seus textos além de irem no amago das questões, nos provocam demais, remetendo a pensar sobre o que discorre.

Parabéns,

Beijos,

Júlim Oliveira disse...

eu amo sentir cada sentimento...
permita-se a isto tbm
bjus

Ácido Poético disse...

Mãos livres, sempre...desatando os nós!

Beijãozão
Bruno

Monsieur Coçard disse...

Segundo Douglas Adams (autor d'o gui do mochileiro das galáxias) a pior punição para um ser era uma câmara onde por alguns segundos a criatura tomava consciência de tudo e todo o universo, e morria em decorrência disso.. nunca ninguém saberá tudo, pois englobaria em não saber nada... um tanto quanto ambíguo e contraditório...

beijos

Tiagho Diniz. disse...

Enteder a si proprio não existe difuldade maior. Humanidade é a cereja do bolo podre.

Thiago Kuerques disse...

E no fim eu nao sei ainda o que a filosofia nao explica (claro, ao seu modo, "desexplicando" cada vez mais).
Se a cada busca e novo achado das respostas dos segredos vê-se ainda mais segredos sendo criados, tente inverter tudo.
Nao busque respostas. Busca segredos. Quem sabe cada vez menos haverão?
Quem sabe cada mais leve você ficará.
A mais nua escritora que conheço (por palavras, claro)
Beijos

Anônimo disse...

gostei

Késia Maximiano disse...

nada de frustrações...
cada ser eh diferente...

mas o texto tah otimo
bjosss

Carolina disse...

A filosofia diz que para entender os outros precisamos entender primeiro a nós.

Você é capaz de fazer isso?

Mas acho perda de tempo tentar entender os outros, às vezes nos surpreendemos com nós, imagina então com o resto do mundo.

Concordo quando disse que buscamos por nada, isso tenho certeza que é a realidade.

Beijos =**

Nana Flash disse...

Entao voce pega esses sentimentos confusos, essas exclamações, essas interrogações e esse peso que dói no estômago e escreve. Escreve, escreve, escreve, até as mãos doerem. Nao sei se você vai se sentir melhor depois, mas a literatura agradece ;)
Voce tem tudo demais, principalmente sentimentos. Mas nunca desista de experimentar de novo e dar novas chances a voce.
(OK, to parecendo minha terapeuta).
Beijus! EH bom estar de volta e ler seu blog :) adorei o template.