Há quanto tempo não me sentia assim tão frágil? Já não lembrava mais qual era a sensação de chorar por tantas horas seguidas. Nunca me senti tão insegura, parece que a qualquer momento alguém vai chegar aqui e destruir tudo: todo o sonho, toda a vontade, todo o desejo. Sempre gostei de me sentir sozinha. Sempre fui um ser solitário. Gostava de viver perdida nos meus próprios pensamentos, mas hoje essa sensação me dói a alma, ou melhor, o coração. O pior é saber que um simples abraço, um beijo ou um "oi" mudariam meu ânimo bruscamente. Apenas um pouco de atenção e eu teria certeza que, no final, tudo daria certo. Mas o que é dar certo? Que final é esse? De onde vem a tal certeza? Ilusão ou não, eu não sei. Também desconheço quando as coisas chegaram a esse ponto: precisar de carinho? Onde eu perdi o controle do que sinto? Em que momento eu me entreguei tão completamente assim e nem notei? Por que eu fiz isso? De novo, eu não sei. Já não consigo responder a maioria das minhas perguntas. A única certeza que tenho é que não me arrependo de nada, não voltaria atrás em um momento sequer, neste aspecto eu sei que não mudei.

13 comentários:

Paulo Fernando disse...

"Quando estou mais fraco, é que eu sou mais forte!". A insegurança prova que a companhia (por mais agridoce que seja) é bem vinda ao espírito. A dor de não saber o que si é, não vem do indivíduo. Você tem a enfermidade do mundo: luta pela busca de algo que não sabe e, quando encontra esse "algo", não o utiliza da melhor maneira.

Tire os nós de sua mente começando pelos seus desejos...

bjos, minha linda!

Bárbara P. disse...

Eu consegui sobreviver a esse turbilhão quando aceitei. Lutei e relutei, fiz centenas de guerras em um só dia contra a minha total perda de controle de mim mesma. Mas foi no momento em que depus as armas, que encontrei paz. Aí eu descobri que o amor lutava a meu favor, não contra mim. O que não significa ter se transformado em indolor, é claro.

Renato disse...

Oi.... ^^



Beijossss

Afrodite disse...

quando a gente menos espera, a gente é surpreendido.

Uma hora, a tempestade passa.

Johnny Kagyn disse...

eu quero a tempestade
deixo a bonança para os tolos
eu quero a tempestade
só nela sei o que é a vida
eu quero a tempestade
isso que grita dentro de mim, silenciosa tempestade, eu não te nego.
sofro sua arrogância, sinto sua verdade.
eu quero a tempestade. mesmo que silenciosa e íntima.
é nela que me encontro... e eu quero.

B. disse...

Eu também.

-=|Åñð®ë§§ä|=- - disse...

Oii!
Este texto traduz exatamente oq estou sentindo.. muitas incertezas.. é aquela indecisão..
:(
Mas passa, mesmo q o mundo nos empurre..
bjus

Monsieur Coçard disse...

pois é... carência é uma coisa que dói mesmo... já disse renato russo: "o mal do século, é a solidão"

beijos

Sebastiao Moura disse...

Então perdeste o controle do que sentes, entregou-te tão completamente e nem notaste... Bem-vinda ao clube!

Wagner disse...

A fragilidade nos ensina o quanto somos fortes. Portanto, tente apalpar sua fortaleza!

abraço

Rachs disse...

Tirando o francês - q eu sou completamente analfabeta - me identifico mto com vc...
bjos

Júlim Oliveira disse...

arrepender de algo, ou alguma coisa
as vezes nos faz bem

Milene Maciel disse...

Dúvidas, insegurança... tantos conflitos e a antagônica certeza do não-arrependimento.

A Paixão faz isso conosco!

Excelente texto!
Sempre gosto do que você escreve...
(pelo menos até agora =D)

Beijão Bárbara!