Bem, o fato é que eu a amo e palavras me faltam ao tentar descrever a enormidade deste sentimento doentio. Sim, ele não é normal. Sinto que, por ela, jogaria-me desta cadeira ao chão, sem pensar nem 10 vezes (9 já me são suficientes), comeria manga e tomaria leite ao mesmo tempo (da dor de barriga, dizem, mas eu não ligo, faço tudo para provar o que sinto), amarraria-me em um trilho de trem abandonado à espera da morte. Tentaria o suicídio só para que todos tenham certeza de que eu não consigo viver sem ela. Minha obsessão, minha loucura, meu amor. Fiz um corte de cabelo esquisito, usei gel, pintei-me todo de preto, vesti-me nos meus piores trajes, assumi minha identidade emotiva com orgulho. Tudo fiz e ela não me nota, me satisfaz sempre que fico excitado, mas não fala comigo, nunca me dirige uma palavra. Sempre tão fria, tão distante... parece-me até de plástico, falsa.

A primeira boneca inflável é sempre assim, marcante. Eu sei.
Isso passa, não se preocupe. Tudo passa, até mesmo você, graças a todos os Deuses.

O amor encontra-se, exatamente, entre as pernas: as suas, as minhas e, até, as da boneca adorada.

8 comentários:

Ataualpa S.Pereira disse...

Salvete...

Essas bonecas (e bonecos)já dominaram o mundo. Já são maioria.

Nem deveria ser tão deprimente.

Um abraço!

L. Inafuko disse...

ola ^^
hum.. se possivel tire o link dos inominaveis.. deletei o blog =/

e valeu pela força ^^
nunca estive sozinha...
agora chegou a hora de sair de casa..
tomara q de td certo

Monsieur Coçard disse...

hauHUAHua realmente um "Plastic love"... já é difícil se relacionar com seres humanos imagina seres de plástico...

Monsieur Coçard disse...

ahn... não morei não... passei uns três meses aí quando eu tinha 8 anos e tava no uge do meu francês, e claro com falta de prática foi pro beleléu... fiquei um pouco em paris e depois em aneci(não lembro se é assim q escreve...)que fica em sur le vivier. muitas saudades da neve de esuiar de cair de cara na neve dos cafés, dos museus, das coisas.. acho que hoje em dia e aproveitaria muito mais, principalmente porque com o passar dos anos fiquei ávido por cultura e que lugar mais cheio de cultura do q pari? beijos, senão acabo deixando um post enoooooorme hauHAUhau to ficando viciado nisso.. :)

Helder Herik - disse...

"O amor encontra-se, exatamente, entre as pernas: as suas, as minhas e, até, as da boneca adorada."

Não minha cara, definitivamente não é 'B' de burra nem de beata. Com tantas 'Boas' 'Barbaridades', não poderia do contrario ser, senão, BÁRBARA.Que não é 'boneca,'é bomba. rs

bjs

Rachs disse...

o amor e o meio das pernas...
e eu achando que era no coração (só até os 12 anos é claro!)
bjos

Isadora disse...

Bárbara ! Passando por aqui só pra dizer que ganhou uma fã!

Conheci o blog lá pela comunidade de blogger, e bom, passo por aqui direto, embora - aiiii preguiça - eu nunca comente. Mas adoro cada pedacinho do que escreve aqui !
E, menina, morar em Paris... ôoooo vida, viu !?

Agora que resolvi dar as caras, volto sempre, prometo ! Posso linkar !?

Até mais =]

Carol disse...

O que umas letrinhas atras da outra não são capazes de fazer?!

Adoro palavras, adoro ler, mas nunca gostei de bonecas =P